Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O SOM DA GENTE

O SOM DA GENTE

16
Out14

NOS TRILHOS DO CONTRABANDO

somdagente

 

 

cont_ze.jpg

 Sempre na companhia de José Manuel Nunes Campos, deixámos a aldeia raiana de Foios e atravessámos a fronteira em Navasfrías,na comunidade autónoma de Castela e Leão, onde se situa um posto da rede de observação da Agência Estatal de Meteorologia.

Virámos à direita em direcção a Valverde del Fresno. O nosso guia caracterizou esta terra como um grande porto de mar devido à grande afluência de gentes que para aqui se dirigia para fazer as suas transacções comerciais.

Era para aqui que as mulheres e raparigas de Foios traziam leite levando depois para Portugal o azeite ou o vinho que aqui se produz devido a um microclima, quase mediterrânico.

Era também nos carreiros destas encostas que se fazia o contrabando, o de subsistência e o do negócio mais graúdo que começou com o volfrâmio e, ultimamente, passou ao café e às máquinas de costura.

Muitos eram os trilhos que, principalmente à noite, os contrabandistas percorriam fugindo à vigilância da guarda civil espanhola e à fúria da guarda fiscal portuguesa. Empurrados para situações difíceis que, muitas vezes levavam a acidentes com riscos para a própria vida.

cont_s_mart.jpg

Valverde del Fresno com Eljas e San Martin de Trevejo formam um trio de aldeias espanholas da raia onde a economia local girava à volta do contrabando.

Pertencem todas à província de Cáceres da Comunidade Autonómica da Extremadura. É aqui que se fala o mañego, idioma da família das línguas galaico-portuguesas e que aqui chamam a Fala.

San Matin de Trevejo tem um lindo centro histórico, com a sua praça maior e, durante todo o ano, por aqui corre, a céu aberto, um rego de água que vai mudando de rua para rua.

Cont_franco.jpg

O Prof. José Manuel Campos sente-se aqui como nos Fois, a sua terra portuguesa.

É saudado e acarinhado como de um irmão espanhol se tratasse. Num dos bares de San Martin encontrou um velho amigo que outrora foi motorista do general Franco.

Franco que, ao contrário de Salazar, nunca fechou as fronteiras à emigração.

A emigração a salto, outro género de contrabando, que enriqueceu muitos passadores portugueses e espanhóis, foi o último assunto abordado pelo amigo Zé Manel neste Som da Gente que dedicamos ao contrabando.

Fotos:Alcides Riquito

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D