Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O SOM DA GENTE

O SOM DA GENTE

24
Mai13

OS SERRANOS

somdagente

A Associação Etnográfica Os Serranos, tem sede em Belazaima do Chão, concelho de Águeda e foi fundada em mil novecentos e noventa e quatro.

Tem por objecto a recolha, preservação e reposição do legado étnico e da cultura tradicional do povo serrano nomeadamente o da encosta ocidental do Caramulo.

Ainda antes da criação desta associação, os folcloristas Francisco Silva e Manuel Farias andavam , por estas paragens, a fazer recolhas de temas, peças e outras formas do nosso património cultural.

Na sequência do programa anterior, é com o Engº Manuel Farias que a Rádio Lafões vai falar sobre a vida actual da associação Os Serranos.

 
Para Os Serranos, dentro do panorama do folclore nacional, as danças e os cantares apenas servem como meio para contar as histórias da vida comunitária das aldeias serranas da serra do Caramulo. É também por esta prática que Os Serranos têm recebido as mais variadas distinções e feito digressões por todo o mundo especialmente por Espanha onde têm presenças regulares na região autónoma da Galiza.
 

Da actividade anual de Os Serranos, o Engº Farias falou ao Som da Gente das principais realizações que passam pela ceia serrana, em Novembro, os cantares de Natal no fim do ano, as Coroas de Maio, no início deste mês e pelo festival, em Junho, em que cada grupo assume a forma de representar e fazer de que já falámos.

No calendário de Os Serranos, aparece também como a sua maior realização, a reconstituição da romaria a Nª Srª da Guia, na Urgueira, em Agosto. É deste evento que prometemos falar num programa que prevemos emitir numa das próximas semanas.

17
Mai13

NA ENCOSTA POENTE DO CARAMULO

somdagente

 Neste Maio amarelo das flores de mimosa, das giestas e da carqueja; neste Maio do verde alface, matizado pelo vermelho escuro da urze, O Som da Gente, no próximo programa vai subir até ao alto do Caramulo onde, na encosta poente, à vista da ria de Aveiro, vai encontrar alguém que ama e cultiva a herança do nosso povo serrano de um modo sublime.

O Engº Manuel Farias, com formação académica, na área de electrotecnia, encontrou, na história e na antropologia, o hobby que lhe veio a preencher a alma de humanista.

O gosto pela leitura, a literatura e a escrita, que cultiva desde novo, têm-no levado à produção de obras que enquadram o homem e as suas circunstâncias.

Com grande admiração por José Leite de Vasconcelos e Teófilo Braga, tem vindo, nesta vertente da antropologia, a interpretar os ciclos, os pensamentos e as circunstâncias principalmente do homem caramulano.

Humanização de uma paisagem que vem desde a pré-história, como o confirmam alguns monumentos megalíticos, como é o caso da anta bem preservada de Paranho de Arca e as ermidas e capelas da idade média, espalhas pela serra. Por aqui passaram também os romanos que deixaram as suas estradas e os celtas que, no entender de Manuel farias, foram os que mais aproveitaram estes recursos naturais para a agricultura e pastorícia.

Estas marcas descobre-as o nosso entrevistado em cada caselho escondido na serra, no moinho que gira por fio de água ou nas veredas que a serpenteiam.

Este interesse pela história local levou-o também ao folclore, faceta que abordaremos na próxima semana quando falarmos da Associação Etnográfica Os Serranos de Belazaima do Chão.

No percurso desta semana, com o Engº Manuel Farias, percorreremos parte do Trilho das Terras de Granito que a Câmara de Águeda traçou na freguesia de Macieira de Alcôba.

Subiremos ao alto do Junqueio para sentir o vento alcobês que acaricia estas paragens depois de passar pelos vales verdes do Baixo Vouga ou pelos vinhedos da Bairrada.

À vista do Caramulinho, desceremos depois ao miradouro da Rochinha onde podemos observar toda a parte sul e poente da serra do Caramulo.

 

Lá para finais de Julho ou princípios de Agosto voltaremos ao pico do Junqueiro para falar da reconstrução de uma romaria do Séc.XIX e do milagre da Urgueira em que um homem entra num forno a duzentos graus, aí deposita a massa para uma broa gigante, e regressa são e salvo.

Mais do que lenda, é história, é realidade. O homem que tem entrado no forno, nos últimos anos, é o nosso entrevistado, o Engº Manuel Farias.

Para o auditório da Lafões fica prometida esta reportagem. E, como nas romarias, as promessas são para cumprir.

Fotos: Alcides Riquito

03
Mai13

TI ILDA FESTEJOU 90 ANOS

somdagente

 

Em Setembro de 2006, O Som da Gente esteve no Bairro da Ponte, às portas da cidade de S. Pedro do Sul, para falar com D. Ilda, a senhora das célebres triga-milhas e folares.

No passado dia 26 de Abril, rodeada pela família e amigos, D. Ilda ou a Ti Ilda, como é conhecida por ali, festejou a bonita idade de 90 anos.

É em jeito de homenagem a esta veneranda senhora e à sua arte de padeira que a Rádio Lafões passa, em reposição, o programa que, com ela, gravámos há sete anos.

Foto da Paula da Felicidade

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D