Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O SOM DA GENTE

O SOM DA GENTE

25
Out08

PASSOS DE SILGUEIROS

somdagente

 

O Som da Gente vai no próximo programa até Passos de Silgueiros, uma terra onde se estuda a nossa tradição que forma e enforma a nossa cultura.
O Inspector Lopes Pires é um nome destacado, a nível nacional, no campo da etnografia.
Será certamente com muito prazer que os nossos ouvintes o ouvirão falar da sua terra e da sua gente.
 
A Associação de Solidariedade Social de Passos de Silgueiros está alojada num grande edifício com traços arquitectónicos do início do século passado.
 Nesta casa funciona um jardim-de-infância, ATL, centro de dia e apoio domiciliário, no campo do apoio social. Na vertente cultural, destaca-se uma biblioteca temática e um museu etnográfico.

É este museu que iremos visitar no primeiro programa de Novembro guiados pelo saber e acompanhados pela boa comunicação do Inspector Lopes Pires.

 

Foto:Alcides Riquito

 

17
Out08

O TAMANQUEIRO DE BALTAR

somdagente

 

João Ferreira da Silva, natural e residente em Baltar, freguesia e concelho de Castro Daire, é um dos últimos tamanqueiros da região, em actividade.
Quando os moços da sua idade tiveram que emigrar para o Brasil, nos anos da fome, por alturas da Segunda Grande Guerra, seguiu a sua vocação e foi aprender a arte de tamanqueiro em Campo Benfeito. Não demorou muito que a sua perfeição na obra ultrapassasse a do mestre.
 

Com a ajuda da mulher, continua a fazer socas, chancas e tamancos ( à moda do Castro, de S. Pedro, de Lamego ou de Barrelas). Ainda na última feira anual do Fojo, vendeu mais de cento e cinquenta pares deste calçado, tradicionalmente usado pelos homens e mulheres do campo mas que hoje é também preferido por outros que moram nas vilas e cidades.

 

10
Out08

S. MACÁRIO

somdagente

De 23 a 28 de Setembro, o Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu levou a efeito um conjunto de iniciativas tendo em vista mostrar o património com actividades em diversos locais da diocese.

Na rota do património religioso, o grupo excursionista foi também à serra de S. Macário para visitar as capelas de cima e de baixo.

Para além dos registos sonoros, feitos no local, no acompanhamento desta visita, servimo-nos para suporte do próximo programa de O Som da Gente, e mais uma vez, da literatura do dr António Nazaré de Oliveira.

A visita às capelas de S. Macário foram orientadas pelo arqueólogo Pedro Pina e pela historiadora Fátima Eusébio.

Junto à capela de S. Macário de Baixo  Pedro Leitão leu parte do poema de Eugénio de Castro sobre uma das lendas do santo.

O culto de S. Macário naquela serra deve ser relativamente tardia, pois documentos dos inícios do seculo XII designam esta serra por "mons magaio" e "mons macario". Em qualquer dos casos, ligam ao topónimo a ideia do culto cristão daquele santo. Admite-se que ali se teria exercido o culto pagão do deus lusitano, mais tarde romanizado, Macarius, que, segundo Leite de Vasconcelos, seria uma divindade naturalística.

 

A ermida de baixo foi mandada construir pelo abade de Sul, depois de uma questão com a paróquia de S. Martinho das moitas quanto à distribuição dos rendimentos da capela de S. Macário de Cima.

A demanda foi decidida a favor do pároco de S. Martinho, ficando o de Sul apenas com o "direito de ir à ermida com uma procissão de ladainha, no dia da romaria". 0 abade de Sul, licenciado João de Mello Abreu Falcão, não se conformou com a perda dos rendimentos e mandou edificar segunda ermida, no sitio da gruta onde, segundo a tradição, teria vivido o santo, mandando também construir junto dela uma casa para o ermitão.

Fotos: Alcides Riquito

 

10
Out08

...

somdagente

 Largo da Feira Nova Nº 15 - 1º Esq.

3660-437 SÃO PEDRO DO SUL

 

 Aos domingos das nove às dez horas

 com reposição às quintas-feiras das onze à meia noite.

Um programa de Fernando Luís

 

Para opiniões e sugestões:

somdagente@sapo.pt

04
Out08

APICULTURA EM COVAS DO RIO

somdagente

 

 

No próximo programa de O SOM DA GENTE voltamos a Bordozedo para conversar com Manuel Vinagre. Agora não falaremos de pesca mas de mel.

O nosso interlocutor é afamado apicultor e vai contar-nos os segredos desta arte milenar que tira destes pequenos insectos, as abelhas, um produto que é remédio, guloseima e alimento.

 

Durante a conversa, Manuel Vinagre continua a revelar-se profundo conhecedor da natureza que o rodeia e  critica os que a desrespeitam ,seja por ignorância ou aventura como acontece com os cientistas.

 

Para nós e certamente também para os ouvintes da Lafões, foi um prazer conhecer um homem, ainda novo, com tanta cultura popular armazenada que vai transmitindo com a maior naturalidade.

 

No final do programa, a esposa do amigo Vinagre, dona Cecília, deu-nos a receita das filhoses de farinha de centeio com mel.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D