03 de Novembro de 2011

No Som da Gente desta semana, Raquel Greenleaf, Directora do Museu Rural de Várzea de Calde, com muita simpatia e justificado orgulho na casa que dirige, vai fazer-nos uma visita guiada pelos três edifícios que constituem o museu.

 Como sabemos quão difícil é encaminhar os ouvintes apenas pelo som, aqui deixamos algumas imagens de suporte. As outras hão-de consegui-las, pelo próprio olhar, quando resolverem ir até Várzea de Calde.

 

 

No primeiro edifício, ao lado da recepão, fica o currral do porco destacando-se aí o papel deste animal na alimentação e na economia da tradicional família rural da nossa Beira Alta.

Ainda neste edifício está em destaque a cozinha.

A cozinha é o mais importante compartimento da casa rural. É ali que se preparam e tomam as refeições, é ali o centro da vida da relação da família, é o lugar habitual de recebimento de amigos e é ainda o lugar do serão.

Assim descreve o Dr Alberto Correia este lugar nevrálgico da casa na vida da mulher e do homem do campo.

A propósito, aqui deixamos este belo texto  A Cozinha- mais que um tempo de mulher, exposto no museu, da autoria do já citado Dr. Alberto Correia que esteve com O Som da Gente, em Junho de 2009 na  visita à Sé de Viseu falando ainda da história da cidade de Viriato. 

 

O Museu Rural de Várzea de Calde adoptou o nome de Casa da Lavoura e Oficina do Linho.

Por isso, ali, os quartos de dormir da antiga casa deram lugar a amplo salão onde se mostra todo o ciclo do linho, grande complemento da actividade agrícola.

Como refere ainda Alberto Correia, os tecidos de linho e de estopa constituíram, durante muito tempo, a base da indumentária masculina e feminina. Também eram feito de linho os lençóis e travesseiras, as toalhas de rosto, de mesa, as toalhas de baptizado e as que eram oferecidas para o altar da capela.

A visita guiada ao Museu Rural de Várzea de Calde terminou no edifício da adega onde se vê um lagar com vara de tradição medieval, a pia do azeite, a salgadeira e a tulha para o milho e feijão.

Por tudo isto, convidamos o amigo ouvinte da Rádio Lafões a ir, pela EN2, a antiga estrada que liga Castro Daire a Viseu até Várzea de Calde. A entrada é gratuita e o horário é das 10 às 12  e das 14 às 17 horas. Está encerrado às segundas-feiras.

Fotos:Alcides Riquito

 

publicado por somdagente às 11:11
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Acabo de ouvir e visualizar a 2ª parte da vossa re...
Acredito e aceito. Isto foi o que se conseguiu ap...
Esse sr.Antonio Silva meu vizinho e compradre e am...
Apraz-me dizer, que Deus lhes dê força para conti...
Fico com água na boca.Quero VER!Abraço
Amigo e Senhor Fernando Luís,Parabéns pelo excelen...
Olá boa noiteO meu nome é Dina Cruz e sou técnica ...
Quando escreveram (e cito): "Em 1959, aqui nasceu ...
Intereessante!... Um espaço a ter em conta!
Conheci o Prof. Zé Fernando há 30 anos. Já nessa é...
blogs SAPO