03 de Fevereiro de 2011

 

Que fresca aldeia formosa

Na margem do meu Pavia!

Tão branca, tão buliçosa,

Tão sussurante e donosa

No seu copado arvoredo

(...)

Assim se refere a Parada de Gonta o filho ilustre desta terra, o poeta Tomás Ribeiro, na sua obra D. Jaime. Foi exactamente a 6 de Fevereiro de 1901 que o poeta e estadista deixou o mundo dos vivos.

 

 

No centro, grave e campaneiro,

 se ergue o palácio da aldeia,

num liso largo terreiro

(...)

No centro, por sobre a porta,

Um brasão de fidalguia,

E, para o lado oriental,

Uma formosa capela

Tão vistosa e festival,

Que não se encontra mais bela

Noutra aldeia em Portugal.

  

Foi neste largo principal de Parada de Gonta, também cantado por Tomás Ribeiro junto ao túmulo de seus pais, na tal formosa capela, que Fernando Maia, ex-presidente da Junta, nos começou a falar da história de Parada, de Gonta.

 

 

 

Na sede do Grupo Cultural Os Amigos de Parada de Gonta, no centro do povoado, encontram-se fotos que documentam os principais monumentos da freguesia e numa das vitrinas encontra-se parte do espólio do Castro dos Três Rios um dos locais marcantes dos monumentos pré-históricos do concelho de Tondela.

Nesta sede encontra-se também para ser tratado o espólio do escritor Rodrigo de Melo.

 

 

 

Foram muitos os nomes da cultura, das letras e das artes que nasceram ou passaram por Parada de Gonta, à cabeça dos quais está naturalmente o nome do poeta Tomás Ribeiro.

Na igreja paroquial de Parada de Gonta,  dois painéis de azulejo de Jorge Colaço marcam a ligação familiar e pessoal  deste artista a esta terra.

 

 

 

A Tomás Ribeiro se deve o arranque da freguesia de Parada de Gonta no século XIX.

Tomás Ribeiro que para além de consagrado poeta foi também um político e estadista que deixou obra.

Foi ministro de um governo de Fontes Pereira de Melo e ainda hoje a escola de Parada de Gonta, edificada no seu tempo, ostenta o nome deste governante que pela época de desenvolvimento que deixou em Portugal marcou a nossa história com conhecido fontismo.

   

 

O programa de O Som da Gentesobre a freguesia de Parada de Gonta termina com música do Rancho Folclórico de Parada de Gonta e as palavras  de Fernanda Pinto sobre a história desta associação  filiada na Federação do Folclore Português.

 

Aproveitamos para agradecer ao Grupo Cultural Os Amigos de Parda de Gonta, aos ex-presidentes da Junta Fernando Maia e Fernando Moura Coutinho a colaboração preciosa para este programa.

Para o Alcides Riquito  que connosco tantas léguas tem percorrido mais um obrigado pelas belas fotos que aqui nos tem deixado.

Desta vez é sempre com satisfação quando fazemos despontar um brilhozinho no olhar quando na objectiva estão as paisagens da terra-mãe.

 

publicado por somdagente às 12:14
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Acabo de ouvir e visualizar a 2ª parte da vossa re...
Acredito e aceito. Isto foi o que se conseguiu ap...
Esse sr.Antonio Silva meu vizinho e compradre e am...
Apraz-me dizer, que Deus lhes dê força para conti...
Fico com água na boca.Quero VER!Abraço
Amigo e Senhor Fernando Luís,Parabéns pelo excelen...
Olá boa noiteO meu nome é Dina Cruz e sou técnica ...
Quando escreveram (e cito): "Em 1959, aqui nasceu ...
Intereessante!... Um espaço a ter em conta!
Conheci o Prof. Zé Fernando há 30 anos. Já nessa é...
blogs SAPO